We've updated our Terms of Use. You can review the changes here.

AMANHÃ É TARDE

by Fellini

/
1.
Polichinelo 03:56
Você vem de uma constelação Você vem do café da esquina Você vem do cabeleireiro Você vem de um arquipélago mínimo Você vem de um satélite mudo Você vem de um móbile imóvel Você vem de cabelo molhado Você vem de cara lavada Você segue as placas de trânsito Você vem já passou mais de um ano Você chega enfim um pouco atrasada Você vem é a bondade em pessoa E ouve os segredos do polichinelo E ouve os segredos do polichinelo E ouve os segredos do polichinelo
2.
As Peles 05:43
Não olhe pra trás Lá atrás ficaram As peles Pele de virar as costas pra sempre Pele de ouvir a língua Pele de não entender nada Pele de deixar a morada Pele de partir pra outra Pele de aeroporto Pele de dormir no sofá da sala Pele de rir sozinho no eco da sua casa Pele de portas fechadas Não olhe pra trás O tempo ruge Tempo de trocar a pele Tempo de fazer cooper Tempo de amar Tempo de andar em círculos Tempo de fechar o livro Tempo de fechar o ciclo Tempo de voltar ao início Tempo de lavar a louça Tempo de apagar e chorar de frio Na madrugada Não olhe pra trás Lá atrás ficaram As peles Pele de virar as costas pra sempre Pele de ouvir a língua Pele de não entender nada Pele de deixar a morada Pele de ouvir uns discos Pele de aeroporto Pele de dormir no sofá da sala
3.
Ah, vem Amanhã é tarde Os olhos sonham Os braços apertam A noite que cintila A primavera Que arde Amanhã é tarde Tanta saudade Botão adormecido Que se abrirá em flor Nos dedos daquela árvore Nunca se sabe Calmamente refletida Nos vidros do edifício Você atravessa a cidade Amanhã Amanhã Amanhã Amanhã
4.
Deixa o sol Pairar Gravado no mar O bondinho Deixa eu te beijar Teu beijo Sobre o rio De janeiro Deixa eu cantar O abraço em pleno ar Da baía
5.
Greve 04:18
Meu amor parou Em meio à greve No congestionamento Em meio à greve Anjo de asa negra Em meio à greve Anda revoltada Em meio à greve Nunca um dia assim bonito Ela e seus fones de ouvido Anjo de asa negra Em meio à greve Anda revoltada Em meio à greve Pensando na vida Em meio à greve E gritando abaixo Em meio à greve Nunca um dia assim bonito A internacional no ouvido De pé!... De pé!... De pé!... Ela e seus fones de ouvido
6.
Ventre Livre 03:47
Sou um cara velho de franja cara romana um escaravelho Sou um cara de fala atropelada quando tomo bolas como não as tomo sou um cara de feições caladas Sou isso e aquilo gosto de samba não gosto de leite gosto de palavras inclusive as faladas gosto de bicho gosto de gente quando estou contente Quando estou contente Sou um bicho de olho reluzente gosto de revolução gosto do seu cabelo preso gosto de café gosto de Nara Leão gosto das corcovas do camelo que mastiga o infinito gosto de vinho quando bebo como não bebo gosto de bebê-lo gosto de crianças dançando na sala ao meu redor enquanto escrevo esse poema torto para alertá-la que eu te amo gosto de tudo em você gosto do seu sangue egípcio Gosto de tudo em você Gosto de tudo em você
7.
O Quarto 06:24
Isso você tem que carregar Luzes sombras cores do lugar Isso você tem que carregar Abre a janela e deixa o sol entrar Hora de partir e de chegar O farol do carro iluminará O animal que para pra te olhar Isso você tem que carregar Hora de partir e de chegar
8.
Besouro 03:58
Você daqui uns 20 anos Loiro como um trator Você daqui uns 20 anos Remando contra a manhã Armadura de besouro Inquisitivo como um beija-flor Você é forte como um touro Mas no fundo é uma flor Seus interesses, pela ordem Mamãe irmã papai moto e trator A cidade é um estouro Onde você vai morar Zum zum zum é meu besouro
9.
Retrato 04:29
As paredes do meu quarto Guardam todos os retratos Seus retratos mais antigos De sorriso enigmático O sorriso de água verde Cintilando no regato O olhar mais esquivo Como a fuga de um lagarto Diz Que é feliz Comigo O retrato ao meu lado
10.
O mesmo cabelo E a camiseta Da capa do disco Manso é o carneiro Rindo eternamente Ninguém que o queira Mil Novecentos E setenta e um Um lp por mês Espinhas na testa Um jardim secreto Flores na cabeça Mil Novecentos E setenta e um
11.
Contas 04:38
Faz um tempo Conta Tanto tempo Conta? O carrossel gira Tá descascando a tinta Olha que mundo mais estranho Só tem fábrica e banco Sabe que eu te amo? Isso é que realmente conta Não acorde quem dorme Só com beijos acorde Olha que mundo mais estranho Só tem fábrica e banco Sabe que eu te amo? Isso é que realmente conta
12.
Longe 02:51
Com meu bigode turco Levarei uma coisa pra você Na praia Um presente, uma concha Eu fumo, trago um cigarro no lábio Descuidado Sou um marujo A caminho de galápagos Onde você esteve? Longe De novo? Onde você esteve? Longe Pode ser, na falta de conchas Uma tartaruguinha verde Que vá morder seu dedo branco Enrugado De água do mar Você está na praia de karakum Em sinop, "cuja areia vulcânica negra Era misturada à argila para fabricar ânforas". Sonhei com você, maiô quase de criança Branca contra o céu escuro Uma tarde num ancoradouro Lambido pela água quente de um dos oceanos Qual? Onde você esteve? Longe De novo? Onde você esteve? Longe
13.
Canção 05:04
Carne osso choro prata casa noite fogo Morro velho criança doido alegria Canção ninho transa coisa dia curva Chuva bonde touro unha fome ônibus karma Canção dia curva chuva bonde touro Unha fome ônibus karma sonho verão espera Canção espera neve sino lambreta lua Abraço hera ladeira preguiça beijo Suplício sapato canção coisa dia curva Chuva bonde touro unha fome ônibus Karma canção dia curva chuva bonde Touro unha fome ônibus karma sonho verão Espera canção coruja neve sino lambreta preguiça beijo suplício sapato Canção sopro sarda suspiro trégua sono Olvido carne osso choro prata casa Noite fogo morro velho criança doido alegria Ninho transa canção dia curva chuva Bonde touro unha fome ônibus karma sonho Verão espera canção

about

Fifth album by Fellini, a homerecording done in London, 2001, released 2002.

credits

released March 4, 2002

Músicas de Thomas Pappon
Letras de Cadão Volpato

Gravado em 4 canais no Pellatt Road Studio, Londres, de março a agosto de 2001.

Contém samples de Jacks Wu, Esther & Abi Ofarim, Os Ipanemas, Elizeth Cardoso e Ahmed Abdul-Malik, com todo respeito e admiração.

Arte: Renato Yada
Fotos: Karla Pappon e Cadão Volpato

Desenhos: Signore Volpato
Masterização: Marcos VRS

Thomas Pappon - instrumentos, coro
Cadão Volpato - voz

license

all rights reserved

tags

about

Fellini São Paulo, Brazil

Formed in São Paulo in 1984, one of the better known bands of the local indie scene of the mid-1980s (and having a cult following to the present day), Fellini began as a straightforward post-punk band influenced by The Stranglers and Durutti Column, but would gradually develop a eclectic sonority that mixed post-punk with MPB and samba rock, acquiring an unique, almost non-descript musical style. ... more

contact / help

Contact Fellini

Streaming and
Download help

Report this album or account

If you like Fellini, you may also like: